9 de agosto de 2011

Aí está o motivo do tal 2.º Orçamento Rectificativo: a alteração do IVA para compensar a descida da TSU. Não deixa de ser deveras curioso que mais uma vez somos nós todos que vamos suportar as medidas de apoio às empresas.
O tal estudo pode ser visto aqui. Agora uma coisa o Governo tem de pensar: esta medida pode colocar em causa a sustentabilidade da segurança social.
Mas se a questão da segurança social motiva preocupação, não deixa de igualmente preocupar a questão do corte na TSU. A quem se destina? Como vai ser feita? Quem beneficiar terá obrigações de empregabilidade? Os empresários com dívidas à Segurança Social estão abrangidos pela medida?
Sobre o IVA e as alterações da taxa falaremos proximamente.


2 de agosto de 2011

Ontem foi apresentado o Orçamento Rectificativo na Assembleia da República. O motivo dete prende-se, diz o Governo, com o acomodar no limite global de endividamento do Estado, o valor do empréstimo internacional que é destinado à banca e respectivas garantias bancárias.
Isto é mesmo surreal...
A Banca responsável por este Orçamento, é a mesma que obrigou à feitura do acordo com a troika e que lhe teceu os melhores elogios e é a mesma que agora vem dizer que afinal o acordo tem de ser melhorado.
Tenham lá paciência, mas tudo isto é demasiado, é muita hipocrisia para a minha condição de humano

Ontem foi o primeiro dia do aumento brutal e descabido dos transportes. Mais do que cinco vezes a inflacção. Assombroso.
Pagamos a inépcia da gestão, os desmandos de uns senhores gestores, e a hipocrisia de um Estado que gosta de ficar pelas meias tintas: não assumem os transportes como serviço público, mas também não são privados... ficam ali num nimbo.
Mas o mais engraçado, se é que ainda existe alguma graça, é que o Estado olha para nós como sendo a galinha dos ovos de ouro.
Só que, vamos lá nós perceber, o Estado em vez de proteger a galinha, quer acabar com ela...
Fica com os ovos todos de uma vez, fica com o poleiro, com o ninho e ainda está disposto a fazer uma canja com a dita cuja...
Mas atenção que ficam sem galinha...

Os americanos parece que chegaram a acordo para não terem problemas de incumprimento...
Não sei se já passou um mês da célebre frase proclamada por Obama, de que os EUA não eram a Grécia, nem eram Portugal...
Obama tem toda a razão, mas em dívida soberana e questões de incumprimento, não sei quem estará pior...
Pela boca morre o peixe...

E lá foi o BPN... nós pagámos ao BIC (aquele que é dirigido pelo carregador de pianos do cavaquismo) e eles  lá aceitaram.
Por 40  milhões e com o Estado a pagar as indmnizações, até eu teria sido banqueiro...
os brasileiros têm uma frase muito engraçada: me engana que eu gosto, mas eu digo: pensam que eu sou parvo