3 de outubro de 2012



Esta gente mete-me nojo.
Entregam alterações em Bruxelas sem falarem com aqueles que vão levar com as medidas (Passos Coelho esqueceu-se do que disse a Sócrates).
Fazem pouco da concertação social.
Passeiam-se impunemente, agora com muita segurança, como se a população fosse composta de animais e não de pessoas idóneas.
Falam de sorriso nos lábios como se tudo isto fosse uma brincadeira.
Revelam uma impreparação confrangedora. E aquilo que no passado renegaram porque não prestava, hoje é a bandeira a hastear já.
Agora até separam a concertação social para ser mais fácil de “vender” as suas ideias. A troco de quê, não sei...
Triste país este que tais governantes tem.
Ataca-se somente um dos lados.
As fundações foram uma ópera bufa.
A renegociação das PPP’s é uma miragem.
A venda dos nossos activos mais importantes foi feita a troco de um prato de lentilhas.
Declarem a vossa incapacidade, arrumem as secretárias e vão-se embora.



Ouvi falar de uma união de esquerda. Mas qual união? Como é que se fala em união, quando são apresentadas duas moções de censura. Ninguém entende isso. E também é difícil perceber como é que uma das moções ataca mais um partido da oposição do que os próprios partidos da coligação... não brinquem connosco

Há pessoas que saem pela porta grande. Há pessoas que saem pela porta do lado. Há pessoas que saem pela porta dos fundos. António Bar...