3 de outubro de 2012



Esta gente mete-me nojo.
Entregam alterações em Bruxelas sem falarem com aqueles que vão levar com as medidas (Passos Coelho esqueceu-se do que disse a Sócrates).
Fazem pouco da concertação social.
Passeiam-se impunemente, agora com muita segurança, como se a população fosse composta de animais e não de pessoas idóneas.
Falam de sorriso nos lábios como se tudo isto fosse uma brincadeira.
Revelam uma impreparação confrangedora. E aquilo que no passado renegaram porque não prestava, hoje é a bandeira a hastear já.
Agora até separam a concertação social para ser mais fácil de “vender” as suas ideias. A troco de quê, não sei...
Triste país este que tais governantes tem.
Ataca-se somente um dos lados.
As fundações foram uma ópera bufa.
A renegociação das PPP’s é uma miragem.
A venda dos nossos activos mais importantes foi feita a troco de um prato de lentilhas.
Declarem a vossa incapacidade, arrumem as secretárias e vão-se embora.



Ouvi falar de uma união de esquerda. Mas qual união? Como é que se fala em união, quando são apresentadas duas moções de censura. Ninguém entende isso. E também é difícil perceber como é que uma das moções ataca mais um partido da oposição do que os próprios partidos da coligação... não brinquem connosco