16 de fevereiro de 2012

políticos de pacotilha

Nestes dois últimos dias assistimos a declarações que acentuam a nossa revolta. Um jovem deputado de seu nome João Almeida disse alto e bom som que "os funcionários públicos que entendam que a mobilidade proposta não é solução podem, no seu interesse, negociar a rescisão."
Negociar rescisão??? Se não estivéssemos  perante uma frase tão triste, quase se poderia dizer que isto foi devido ao Carnaval... Mas o problema é que estes senhores não estão a brincar.
Tive curiosidade em ir ver o Curriculum deste senhor e procurei na Assembleia da República e encontrei este. Percebi de imediato.
Ainda não estava refeito desta triste frase e eis que um ministro, curiosamente ou não, do mesmo partido do sr. deputado referido anteriormente, que decidiu dar mais 47 milhões para o reforço dos refeitórios sociais.
Preferimos gastar 47 milhões do que abrandar o "garrote" que se colocou aos portugueses. Estou a imaginar a satisfação do sr. ministro a ver as filas nesses refeitórios.
Estas duas situações provocam-me asco, repugnam-me... e fazem-me sentir que este povo está entregue a gente sem alma, a gente que diz "custe o que custar", a gente que mais nada fez do que passear nos corredores da política.
Depois de saber disto fui informado de que o governo gastou 12 mil euros em 100 exemplares  do programa do governo e a minha revolta triplicou.