2 de dezembro de 2016

há nacos de prosa que devem ser alcandorados a divertimento nacional.
incluído nesta categoria está este texto http://www.dn.pt/portugal/interior/e-preciso-deixar-de-servir-a-banca-em-sintra-5530095.html.
demasiado ridículo para que possa ser levado a sério.
as palavras do dito candidato à Câmara de Sintra são um ataque à inteligência de cada um dos sintrenses.
bastava pensar no que disse este candidato por o PSD ter apoiado o Pedro Pinto nas últimas eleições e verificar agora o apoio que acolheu de braços abertos desse mesmo partido, para perceber que afinal o que está em causa é o poder, seja a que custo for.
que se dane a ética, a verticalidade e tudo o resto...
mas atenção que vale para o candidato e para o PSD, já que os dois disseram um do outro o que Maomé não disse do toucinho...
depois basta pensar na situação em que ficou o município e olhar agora para o actual momento e para o esforço que foi feito para que hoje a Câmara de Sintra seja uma edilidade respeitada por todos.
mas claro que isso ao candidato agora apoiado pelo PSD pouco importa e ao PSD ainda importa menos.
diz o candidato que o Movimento está a crescer...
tem razão. desde que foi tornado público o apoio do PSD cresceu sim mas... para baixo.
isto é o que faz andar arredado da realidade...
olhar só para o nosso umbigo, pode provocar doenças na coluna.
não me alongo mais até porque nunca foi meu hábito gastar cera com ruins defuntos, mas sempre deixo um conselho:
a dignidade e a ética são dos melhores valores que podemos ter.
a hipocrisia política faz mal, por isso lhe digo cuide-se sr. candidato

16 de março de 2016

Assunção Cristas lá foi eleita a líder do CDS que agora já não é PP.
No discurso de consagração lá atacou o Governo e o Orçamento, coisa que não traz grande novidade. A novidade está numa notícia publicada pelo Expresso de 27 de Fevereiro na página 10.
Diz o referido semanário que:


1. Assunção Cristas deixou um "buraco" de 340 milhões de euros, no Ministério da Agricultura;
2. Assunção Cristas assume que deixou uma herança que incluía o pagamento futuro de 200 milhões mas que Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque eram conhecedores do facto;
3. Assunção Cristas esgotou num ano - para sermos mais precisos, no ano de eleições - os milhões de verbas da UE para cinco anos e até excedeu as verbas em 296 milhões de euros;
4. Da dotação global de 576 milhões para ajudas "agro-alimentares", a gastar entre 2015 e 2019, a Cristas "comprometeu" 872 milhões, logo em 2015!
E o romance poderia alongar-se (20 milhões de euros de seguros por pagar, 24 milhões de obras no Alqueva...), mas não vale a pena...


Digam lá se não é uma maravilha? e depois vem em bicos de pés criticar a torto e a direito...



15 de março de 2016

o pasquim cá do sítio publica hoje na última página uma notícia deveras importante: Sócrates faz parte da lista de clientes da EDP que têm a caução para receber.
pois tal como disse Ian Macshane aos fãs da "Guerra dos tronos", também eu digo aos senhores do pasquim: arranjem uma vida...




9 de março de 2016

é o regresso aqui ao blogue, logo hoje que Cavaco parte e Marcelo entra em Belém...


Maria Luís Albuquerque foi ontem à Comissão de Ética da AR para falar do seu novo emprego. Mas será que um caso destes precisa de ir à Comissão de Ética? mas fazer o quê?
Tenham decência e não nos tomem todos por estúpidos... a senhora só foi contratada porque foi secretária de Estado e depois ministra das Finanças e nada mais. 
E só por isso é já uma falta de ética.
E de pouco ou nada servem as Comissões e os Regulamentos, quando eles são compostos e elaborados pelos "pares".
Mais, neste caso não é só a senhora que revela pouca ou nenhuma ética, o partido também.
Num país com P o presidente do partido tinha solicitado à senhora que abandonasse o cargo de deputada.
E estou curioso para saber como serão justificadas as faltas...


Taborda da Gama, diz no DN de hoje: "Conheci Cavaco Silva na sua última campanha eleitoral em 2010, como membro da comissão política da sua candidatura, e fui consultor político da sua casa civil entre 2011 e 2013. Isto é o que dizem os jornais e os cartões-de-visita, porque nem Cavaco se deixa conhecer nem Cavaco precisa de comissões ou conselhos políticos, muito menos dos meus."

Pois bem, fico com uma dúvida: se não foi lá fazer nada porque o contrataram? Esteve a fazer um serviço pro bono? Ponho as minhas dúvidas…


A propósito do caso de Maria Luís, Paulo Portas tem hoje uma frase assassina e que mostra bem que amigos amigos, mas não me esqueço…
Diz ele numa entrevista à Rádio Renascença “A Comissão de Ética não avalia o que é moral. Avalia o que é legal. Outras matérias são essencialmente do juízo do próprio”.
E pum, submarino ao fundo (sem qualquer analogia claro, somente tipo batalha naval)…