11 de fevereiro de 2018

Há pessoas que saem pela porta grande.
Há pessoas que saem pela porta do lado.
Há pessoas que saem pela porta dos fundos.
António Barreto arrisca-se a sair pelo janelo da cave.


Também ajuda o ambiente na comunicação social que é predominantemente de esquerda, o que confirma o aparente grau de impunidade de que esta goza. Hoje no DN

10 de fevereiro de 2018

No Expresso Economia existe uma coluna que se chama “Massa Crítica” assinada por Luís Marques.
Esta semana fala do ódio da esquerda ao capital. Se comungo da visão relativamente à Autoeuropa, já o mesmo não posso dizer relativamente aos CTT.
Os CTT são  bem o exemplo de um negócio falhado. A concessão dada pelo anterior Governo foi um erro de lesa pátria. E não serve de desculpa dizer que a EU obrigou a isto ou aquilo.
Comparo os CTT, com as devidas distâncias como é evidente, com a CIMPOR.
Os CTT estão a tornar-se a pior empresa. Só importa o banco. O serviço postal sobre o qual tinham obrigações está a sofrer desinvestimento capital e humano, o que se traduz num mau serviço prestado à população.
Voltando à CIMPOR, permitam-me esta analogia:
O que é hoje a CIMPOR? Nada
O que foi ontem a CIMPOR? Muito
Hoje o que são os CTT? Empresa
Amanhã o que serão os CTT? Nada
Ontem o que foram os CTT? Uma grande empresa nacional
O objectivo desta esquerda não é acabar com o capital nacional ou estrangeiro.
O que está a acontecer nos CTT não é culpa da esquerda. Antes, esta esquerda está a tentar que os CTT não sejam uma nova CIMPOR.
O grande problema é que continua a doer nalgumas almas o sucesso desta governação.

9 de fevereiro de 2018

regressando…

e se o Cardeal Patriarca se abstivesse de dizer coisas infelizes…

 e por falar em coisa infelizes  
menciono aqui Varoufakis e o seu desejo de Primavera Grega

para um e para outro, “tininho”

faltam-me referências à Celtejo no Correio da Manhã, porque  será?

Tem razão Manuel Alegre
“Aquela coisa do [Caso] Centeno preocupou-me muito, porque é uma provocação, um desafio. Aquilo que aconteceu é totalmente inadmissível. Atinge um político brilhante, um político que está num alto cargo da Europa; o que é que se pretende com aquilo? Quem é que controla os controladores, quem é que investiga os investigadores. Aquilo não devia ter consequências. É mau”
“sem um mandato do juiz, sem a presença de um juiz, se vai ver o computador de pessoas que trabalham diretamente com o ministro das Finanças, onde há coisas com certeza que são do interesse geral”.

“É totalmente inadmissível” que nenhuma figura de destaque da política portuguesa tenha intervido no caso. “O Presidente da República, Assembleia da República, Conselho Superior da Magistratura e no Ministério Público”. na Antena 1 

E para ler hoje, o velhinho

27 de junho de 2017

levem-no

alguém me explica que no momento em que o Governo se vê a braços com uma tragédia que lhe imputa valores pouco agradáveis na apreciação, venha o PPC cometer um assassínio político da sua pessoa?




https://www.youtube.com/watch?v=pDo45AkkEXw

2 de dezembro de 2016

há nacos de prosa que devem ser alcandorados a divertimento nacional.
incluído nesta categoria está este texto http://www.dn.pt/portugal/interior/e-preciso-deixar-de-servir-a-banca-em-sintra-5530095.html.
demasiado ridículo para que possa ser levado a sério.
as palavras do dito candidato à Câmara de Sintra são um ataque à inteligência de cada um dos sintrenses.
bastava pensar no que disse este candidato por o PSD ter apoiado o Pedro Pinto nas últimas eleições e verificar agora o apoio que acolheu de braços abertos desse mesmo partido, para perceber que afinal o que está em causa é o poder, seja a que custo for.
que se dane a ética, a verticalidade e tudo o resto...
mas atenção que vale para o candidato e para o PSD, já que os dois disseram um do outro o que Maomé não disse do toucinho...
depois basta pensar na situação em que ficou o município e olhar agora para o actual momento e para o esforço que foi feito para que hoje a Câmara de Sintra seja uma edilidade respeitada por todos.
mas claro que isso ao candidato agora apoiado pelo PSD pouco importa e ao PSD ainda importa menos.
diz o candidato que o Movimento está a crescer...
tem razão. desde que foi tornado público o apoio do PSD cresceu sim mas... para baixo.
isto é o que faz andar arredado da realidade...
olhar só para o nosso umbigo, pode provocar doenças na coluna.
não me alongo mais até porque nunca foi meu hábito gastar cera com ruins defuntos, mas sempre deixo um conselho:
a dignidade e a ética são dos melhores valores que podemos ter.
a hipocrisia política faz mal, por isso lhe digo cuide-se sr. candidato

16 de março de 2016

Assunção Cristas lá foi eleita a líder do CDS que agora já não é PP.
No discurso de consagração lá atacou o Governo e o Orçamento, coisa que não traz grande novidade. A novidade está numa notícia publicada pelo Expresso de 27 de Fevereiro na página 10.
Diz o referido semanário que:


1. Assunção Cristas deixou um "buraco" de 340 milhões de euros, no Ministério da Agricultura;
2. Assunção Cristas assume que deixou uma herança que incluía o pagamento futuro de 200 milhões mas que Passos Coelho e Maria Luís Albuquerque eram conhecedores do facto;
3. Assunção Cristas esgotou num ano - para sermos mais precisos, no ano de eleições - os milhões de verbas da UE para cinco anos e até excedeu as verbas em 296 milhões de euros;
4. Da dotação global de 576 milhões para ajudas "agro-alimentares", a gastar entre 2015 e 2019, a Cristas "comprometeu" 872 milhões, logo em 2015!
E o romance poderia alongar-se (20 milhões de euros de seguros por pagar, 24 milhões de obras no Alqueva...), mas não vale a pena...


Digam lá se não é uma maravilha? e depois vem em bicos de pés criticar a torto e a direito...



Há pessoas que saem pela porta grande. Há pessoas que saem pela porta do lado. Há pessoas que saem pela porta dos fundos. António Bar...