30 de abril de 2009

O que aqui vou escrever de certeza que é polémico. Sem querer passar esponja sobre a questão em apreço gostaria de ir mais além.
Levantou-se a questão de o PS ter utilizado imagens de alunos de uma escola de Castelo de Vide com o computador Magalhães no seu tempo de antena, sem que os pais dessas crianças tenham dado autorização.
Acho legítima e partilho a indignação dos pais dessas crianças e julgo que o seu protesto é válido e oportuno, já quanto ao PSD e ao BE fico desagradado.
Vejamos quer o PSD, quer o BE quer os outros partidos (PS incluído) passam imagens de muita gente e com que direito o fazem? Com o consentimento de quem?
Não sejam mais papistas que o Papa.

É difícil de perceber. Sendo que não entendo a união, a rapidez e a porta fechada na especialidade. Seguro vota contra porque olha para o futuro. E os "defensores" da causa pública (Alegre, Teresa, Alho, etc.), onde estão?

Recomendo a leitura de um excelente artigo de Raul Vaz e o Editorial do Semanário Económico de 25 de Abril.

29 de abril de 2009

A ser verdade o que faz hoje capa no 24horas, é forçoso que as coisas não se fiquem pela capa de um diário. Será necessário que o Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, a Associação dos Juízes, o Conselho Superior de Magistratura investiguem esta história bem a fundo e a publicitem, já que são tão lestos a publicitar outras histórias ou pseudo-histórias.

O presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público, João Palma, no final de uma audiência com Cavaco Silva, disse que não omitiu nada ao Presidente da República, sem precisar se aludia ao caso Freeport. Eu acho que os jornalistas estão equivocados, João palma foi falar do caso que referi antes.

Hoje foi o dia escolhido para o arranque da nova campanha do PSD. Na rua vão aparecer uns cartazes onde consta uma linha telefónica para ouvir os cidadãos. A seguir ao número aparece a indicação de que será cobrado o "custo de uma chamada local" e a frase: "Fale connosco".
Quem ligou encontrou um gravador de chamadas com a voz de Manuela Ferreira Leite.
Não tenho nada contra a criatividade, aliás sou um adepto fervoroso, mas que diabo, os problemas do país não se resolvem com um call-center.

É patético, não pelo conceito sobre o qual não me compete falar já que isso vai do conceito de cada um, mas pelas palavras e pela carga que impuseram à conversa e atenção que a jornalista está isenta de mácula.

27 de abril de 2009

Se fosse outra coisa... Meglena Kuneva, Comissária dos Assuntos dos Consumidores, declarou que a Comissão Europeia considera injustificadas algumas das comissões bancárias cobradas e que Bruxelas divulgará em Julho um estudo aprofundado sobre o assunto.
Se fosse para emitir uma directiva sobre galheteiros, pão em forno a lenha e afins já estava pronta e a ser transposta para a lei interna de cada país, mas como a questão mete bancos, o melhor é fazer um estudo aprofundado primeiro, ler bem o estudo depois e, por último deixar tudo como está, não vão os banqueiros aborrecer-se.

25 de abril de 2009

Hoje comemorou-se o 25 de Abril. Trinta e cinco anos depois devemos comemorar ainda com mais força o Abril de todos nós.
Daqueles que por ele morreram, daqueles que não chegaram a vivê-lo, daqueles que o fizeram, daqueles que o acompanharam minuto a minuto, daqueles que não o conhecendo já nasceram e continuarão a nascer na sua vigência.
Mas hoje e mais uma vez o 25 de Abril ficou manchado. O discurso de Paulo Rangel ficará para sempre nos anais de uma asneira qualquer...
Olhar para Paulo Rangel traz-me à memória de imediato as figuras políticas que fazem a nossa delícia nos romances de um Camilo, de um Eça ou de um Ramalho Ortigão.
Não sei se é pretenciosismo meu, mas aquela figura pequena e anafada com aqueles fatos às riscas, julgando-se com dotes de grande orador, faz-me lembrar o Calisto Elói de Silas Benevides de Barbuda que Camilo imortalizou na sua "A queda de um anjo".
Se quisermos ir mais longe olhem para a figura, deem-lhe um charuto e recordem Chicago dos anos 30.

Hoje apetece-me recordar que o CCB foi uma obra faraónica e que teve uma derrapagem de cerca 600%. É só para que conste.

24 de abril de 2009

Que estranho, o PR vai receber o Presidente do Sindicato dos Magistrados do Ministério Público para falar de um processo judicial em particular?! Então agora já ninguém se importa com a separação de poderes e a independência dos tribunais.

Até que enfim alguém responde a Alegre como deve ser. Em cheio Almeida Santos.

Vergonha é o que sinto após ver o vandalismo e o roubo a que foi sujeito o Regimento de Cavalaria 7 de Santarém. Não é só culpado quem rouba ou vandaliza, é-o igualmente quem o permite. Foi hoje no 1.º Jornal da SIC.

20 de abril de 2009

Desfaçatez? Acho que não, ainda é pior. O Tribunal de Contas detectou gestores públicos, multados pelo tribunal, que estão a pagar as multas através dos orçamentos dos serviços e não do próprio bolso.
O Tribunal de Contas errou. O Tribunal tem é de dizer que A, B, C, ... por aí fora, pagaram as multas com dinheiro do Estado.
Não há dúvida que são verdadeiros artistas. Fazem asneiras com o dinheiro do Estado(ou seja nosso), são multados e depois pagam a multa com dinheiro do Estado(ou seja nosso).
Resumo: seja de que forma for, somos sempre nós os lixados.

Marcelo continua na mesma. Ontem à noite mandou o recado que faltava ao Governo: não afrontem o Presidente senão.
Eu acho que isto tem outra desiganção, mas pronto...
Mas marcelo não se fica por aqui. Como detesta Santana vai fazendo campanha para que não vença.
Um não tem vergonha porque é de novo candidato, o outro porque continua demasiado vichisoise para meu gosto.

Ainda a propósito dos recados de Cavaco. Cavaco deu o maior tiro no pé que se lhe conhece. Cavaco deve exercer uma magistratura de influência, deve chamar à atenção para os caminhos a seguir, mas nada mais do que isso. Ele deve permanecer como uma reserva da nação.
Ora Cavaco foi mais longe. Não é que em termos globais, Cavaco Silva não tenha razão, até porque mais não fez que repeti alguns dos argumentos que já se ouviram nos últimos meses. Mas não fazê-lo naqueles termos, nunca.
Claro que com tudo isto o país político já está à espera do discurso do 25 de Abril.
Cavaco Silva tem de ter presente que neste ano vão acontecer três actos eleitorais, sendo que as legislativas estão a seis meses sensivelmente.
Assim sendo, estes recados fazem de Cavaco um opositor do Governo e ele já não pode demiti-lo.
A continuar assim Cavaco Silva perde o estatuto de reserva da nação e se tal acontecer as consequências que isso poderá ter, quer para o próprioCavaco, quer para o Governo quer para o PSD podem ser devastadoras e isto para não falar das consequências para o país que essas atingirão o estatuto de catástrofe.

E para finalizar só nos faltava isto mesmo, o Estado pagar mais de 14 milhões de euros em pensões de alimentos a crianças em 2008, substituindo dez mil pais que por ausência, dificuldades económicas, ou doença não contribuíram para essa responsabilidade parental decretada judicialmente.
Será que não há por aí muitos que só não pagam porque não lhes apetece?

19 de abril de 2009

As recentes declarações do deputado Arons de Carvalho sobre a taxa de televisão levam-me a fazer algumas apreciações.
Não concordo com a taxa quer da televisão, quer da rádio, ainda por cima porque é uma taxa perfeitamente cega.
Um surdo paga taxa de rádio porquê? Um cego paga uma taxa de televisão porquê?
Eu que recebo a RTP através da TVCabo a quem pago, sou obrigado a pagar esta taxa porquê?
E quem recebe através da PT, da Cabovisão ou outro qualquer operador está nas mesmas circunstâncias.
Por isso, em vez de Arons de Carvalho dizer que é das taxas mais baixa da Europa, talvez devesse referir que é preciso estudar bem esta taxa e ver até que ponto é que é legal este pagamento.
Gostei do discurso de Cavaco. E gostei especialmente quando ele disse “empresários e gestores submissos em relação ao poder político não são geralmente empresários e gestores com fibra competitiva e com espírito inovador”.
Mas de que gestores e empresários está a falar? Dos que eram submissos quando ele foi primeiro ministro? Ou dos que pagaram a sua campanha e que também estiveram na génese deste terrível "afundanço" como o caso de Oliveira e Costa do BPN?
Falar é fácil.
E curiosamente desde o CDS ao BE tudo bateu palmas. Papalvos, isso sim.

Manuela Ferreira Leite teve receio de jogar forte nas europeias. Marques Mendes talvez fosse o cabeça de lista às europeias que melhor garantia uma vitória eleitoral para o PSD. Mas, como ex-líder laranja, certamente transportando um discurso nacional, contra o governo para a campanha, Marques Mendes iria fazer sombra a Ferreira Leite. Muitos diriam, provavelmente, que Marques Mendes tinha tido a vitória que sempre teria tido se não tivesse saído da liderança do PSD. É possível que se entrasse mesmo num grande triunfalismo laranja em virtude de o PSD alcançar a sua primeira vitória eleitoral aos socialistas, em termos nacionais, desde que Durão Barroso ganhou as legislativas de 2002. Mas seria triunfalismo feito à custa de Mendes e não de Ferreira Leite.
Assim, com Paulo Rangel como cabeça de lista às europeias, Ferreira Leite pensou que ficava mais protegida. Como Rangel não tem perfil de líder e não vai ter um discurso nacional, como, significativamente, já fez questão de dizer, uma vitória nas europeias não é tanto sua mas do PSD e de Ferreira Leite que, aliás, o escolheu como candidato, contra a opinião de alguns vice-presidentes da sua direcção, que, ao que parece, preferiam Marques Mendes, para além de que não vê ninguém ameaçar-lhe o lugar. Por sua vez, se o PSD perder as europeias ou tiver uma "vitória de Pirro", Ferreira Leite empurra as culpas para Paulo Rangel e ela fica livre.

17 de abril de 2009

Alguém se tem dado ao trabalho de acompanhar as sessões da Comissão de Inquérito ao BPN? Espero bem que sim. Já não via uma comédia tão boa desde os tempos do Adoque.
Apetece-me desafiar esta Comissão para publicar as actas das reuniões. Talvez estejamos perante um best-seller, aliás a história do BI arrisca-se a entrar para o anedotário nacional.

Ainda relativamente ao BNP, já deu para perceber que Oliveira e Costa vai ser o único culpado no meio de todo este imbróglio.

15 de abril de 2009

Só por graça. Um pirata somali capturado durante um ataque a um barco alemão, apresentou queixa contra o Governo alemão por o ter exposto a "tratamento desumano".
Só falta o somali ser defendido por alguma organização internacional dos direitos humanos.
Tenham lá paciência.

Paulo Rangel outra vez?! Nem consigo acreditar. Algo se está a passar e bem complicado.

Joaquim Coimbra pensava que BI era Bilhete de Identidade e não Banco Insular. Só mesmo para rir.

7 de abril de 2009

Será que alguém ainda pensava que este desejo de as farmácias substituirem os medicamentos receitados pelos médicos por genéricos era por preocupação com a carteira dos portugueses? Desiludam-se amigos. Leiam o Sol de hoje e percebem de imediato.

6 de abril de 2009

Bem prega Frei Tomás. Ferreira Leite pode dizer que quer apresentar leis contra isto e contra aquilo, o grande problema são as práticas do partido que dirige. A notícia de hoje do Correio da Manhã diz tudo.

Por falar em pregar, o antigo PGR, Souto Moura, bem pode pregar, mas a sua imagem fica para sempre ligada a uma fase negra da Procuradoria. A lição que proferiu em Braga não foi medieval, mas é de alguém que se deixou ultrapassar por tudo e todos (mesmo pelos jornalistas) e que não contribuiu para a melhoria da justiça neste país. Aliás este episódio de Braga é a prova de que voltou a ser "embarrilado" pelos jornalistas.

5 de abril de 2009

"A palavra do deputado faz fé, não carecendo por isso de comprovativos adicionais". É esta a redacção do ponto sete do novo regime de presenças e faltas dos deputados em plenários, que o presidente da Assembleia da República fez aprovar. Jaime Gama acabou por deixar a possibilidade de os deputados poderem alegar ausência por motivo de doença sem que para isso seja necessária a apresentação de quaisquer justificativos nos primeiros cinco dias. Excepto quando a doença "se prolongue por mais de uma semana". Ou seja, um deputado que falte e que com isso impeça ou prejudique uma votação pode invocar doença sem que tenha que apresentar qualquer tipo de atestado médico.
Assim é que é. E depois ficam todos abespinhados por a classe política ser vista cada vez com maior desconfiança.

4 de abril de 2009

Manuela Ferreira Leite parece estar preocupada com os casos de corrupção existentes no País e anunciou que o PSD vai “novamente” avançar no Parlamento com uma proposta que conduza à criminalização do enriquecimento ilícito.
Partilho da mesma preocupação e gostaria que tal lei já existisse, por forma a que a nata do cavaquismo fosse chamada à pedra pela trapalhada no BPN. Ou o sector bancário não está incluído?

O circo dos McCann está de regresso à Aldeia da Luz. Desta vez não vieram os artistas todos. São quanto baste para o show-off, sim porque é disso que vivem e nada mais.