23 de novembro de 2013

Ricardo Costa diz hoje no "Expresso" que há "confusão da parte de quem critica Cavaco". E para exemplificar isso mesmo deita mão de uma série de números no sentido de fazer comparações com anteriores presidentes.
Algum governo anterior desrespeitou tanto a Constituição? De certeza que não.
Ora os "silêncios" de Cavaco aos desrespeito constitucional governativo, são eles próprios um desrespeito à Lei Fundamental.
É por isso que Ricardo Costa compara o que não é comparável e escolhe mal o caminho que palmilha neste artigo.

25 de agosto de 2013

Esta coisa dos swaps consegue tirar-me mesmo do sério. Agora foram mais uns documentos que foram destruídos quando esta confusão já tinha visto a luz do dia. E ao que parece foi a IGF que os destruiu.
Eu se não guardar os meus documentos das finanças durante cinco anos estou sujeito a ter problemas, estes senhores só precisam de três anos.
Não querem aproximar o público do privado? podem já começar por aqui...

Manuel Martins, politólogo do ISCSP, dizia no "Expresso" que as "candidaturas de independentes às câmaras municipais são filhas da conjuntura política". Não digo o contrário, mas não devemos esquecer que muitas delas são também filhas de quezílias internas nos partidos...

Ao que parece o governo está a reformular os "briefings" e vai voltar a eles lá para setembro. Não percebo para quê se eles nunca acabaram. Basta ver o Marques Mendes ao sábado na SIC...

7 de agosto de 2013

hoje foi mais um elemento do governo à vida, mas não se limitou a pedir a demissão, armou-se em virgem ofendida.
acho graça a esta gente, não conseguem perceber que só contribuem para a tal podridão de que se queixam.
tenho pena que foi sozinho e não levou os outros amigos da mesma família dos swaps.

24 de julho de 2013

ontem lá foi apresentada a nova equipa ministerial, uns dizem caras novas que eu acho velhas, mas enfim...
o caso mais relevante foi a admiração que causou aos comentadores a "aquisição" de Rui Machete para a equipa.
por mim digo-vos que não acho nada de mais, Rui Machete está para o conselho de Ministros, como David Justino estava para as reuniões de salvação nacional: o observador de Cavaco

12 de março de 2013

A propósito do comentário de domingo de Marcelo Rebelo de Sousa, apetece-me dizer o seguinte. O professor pode ser um barra em Direito, mas em Matemática deixa muito a desejar... quatro tiros??? deixem-me rir... que outra coisa tem ele feito? O homem não tem dedos, pés, pernas, nada... já se mutilou todo. Mas é curioso de ler os comentadores alinhados... vejam o que foi dito sobre a manifestação de ...2 de março...
Ainda sobre este mesmo tema deixo aqui uma sugestão de leitura aos partidos políticos: "Note sur la suppression générale des partis politiques" de Simone Weil. É um escrito de 1950, mas como está atual...
 
Parece que vai nascer aqui em Portugal uma "fábrica" de fazer filmes indianos. Não levem a mal a pergunta: e para quando o apoio a sério ao cinema portugês que cada vez mais se assume como referência nos diversos festivais... é uma simples curiosidade.
 
E quem é que paga ou pagou os recursos? http://economico.sapo.pt/noticias/macario-tem-de-abandonar-camara-de-faro_164618.html. E aqui, como é que é? http://www.ionline.pt/portugal/isaltino-morais-ja-apresentou-44-recursos

E para terminar, dizer ao dr. João Salgueiro que tenho uns terrenos disponíveis, se ele tiver alguém na família nas circunstâncias que referiu, estou disposto a fazer um acordo... só uma pergunta, este senhor também não foi ministro das finanças no reinado daquele senhor que escreve prefácios a dizer que não teve nada a ver com esta situação...

17 de fevereiro de 2013

Há momentos em que rir é o melhor. Acompanhava a edição deste fim de semana do Expresso o Jornal das Regiões/Sintra. Na página 5 encontramos um artigo sobre a apresentação do candidato da CDU à Câmara Municipal de Sintra.
Estaríamos perante um facto perfeitamente banal e de um artigo normalíssimo, não fosse nele encontrarmos uma declarações notáveis de António Filipe, deputado da CDU na Assembleia da República e também deputado municipal em Sintra. Informo desde já que não partilho desta "uzeira" e "vezeira" promiscuidade de cargos, não porque não tenham direito constitucional a isso, mas porque me parece ética e moralmente contraproducente.
Mas continuemos.
Vejam-se as declarações do referido deputado:
"... denúncia dos mais de 120 mil utentes sem médico de família", e que a candidatura da CDU vai abrir "um novo ciclo" e que "...queremos que volte a ser um concelho com valor próprio e não apenas um vizinho de Lisboa",  ainda  "não basta a Sintra ter autarcas mediáticos, quando as razões dessa mediatização nada tem a ver com a gestão autárquica ou com os interesses das populações" e por fim "não vão faltar nestas eleições, em Sintra, candidaturas de direita, com candidatos em comissão de serviço e candidaturas independentes, que sob o manto diáfano de uma suposta independência fabricada à pressa, refletem desavenças partidárias, escamoteiam responsabilidades e servem ambições sociais..."
Pois olhem que gostei destas declarações (que coloquei entre aspas), mas não posso deixar de manifestar uma grande admiração, é que a conivência da CDU com o PSD na Câmara tem sido tão patente que nem precisamos de binóculos para a ver.
Por isso querer agora tapar o sol com a peneira não os livra de uma insolação.