31 de dezembro de 2007

Estou em crer que se Cadilhe soubesse o que ia ouvir, tinha ficado quieto e sossegado. E se na questão de Vítor Constâncio eu também acho que o BdP podia e devia ter ido mais longe, penso que Cadilhe vai mal por usar esta crise para atacar Constâncio, a não ser - e penso que foi isso - que o ex das Finanças tenha tomado as dores de Santana Lopes e da história do déficit. Aliás a inclusão de Bagão na lista, é um ataque desmedido a Constâncio e ao Governo. Porquê ele lá saberá. Para mim nada mais que a "dor de cotovelo".

Para terminar este 2007 gostaria de deixar aqui uma questão:
Porquê do aumento das reformas estar indexado à inflacção e à produtividade e o financiamento dos partidos políticos ao aumento do salário mínimo.
É estranho?! Ou talvez não seja?
E agora duas fotogalerias verdadeiramente excelentes e cujos créditos pertecem ao Público e à Reuters.

E com estas fotogalerias vos deixo.

Até 2008

30 de dezembro de 2007

O Diário de Notícias de ontem trazia na capa uma referência que reputo de muito importante no mundo da comunicação social: os 143 anos de vida.
Não é fácil atingir tão provecta idade com a pujança que o DN demonstra. Aliás o que é norma é não chegar aos 100, quanto mais ultrapassá-los.
Ora o DN é e sempre foi nacional.
Sendo Portugal um produtor de vinho espumoso por excelência porquê do DN comemorar o aniversário com uma garrafa de Freixenet.
Não me parece bem.
E não me parece bem porque o DN é um dos Media Partners da campanha promovida pela AEP do Compro o que é nosso.
E o 560, por onde anda?
Espero que o Provedor dos leitores se lembre de dar alguma explicação.

Estou-me borrifando para aqueles que acham as minhas críticas sobre o sistema judiciário imbuídas de uma profunda demagogia e de um popularismo exacerbado.
O que eu digo é que não compreendo, e muito menos aceito, determinadas decisões que vemos ditadas por órgãos judiciários.
A indignação que publicito hoje tem a ver com os quatro jovens suspeitos do homicídio de João Inácio de 42 anos, e que morreu amarrado à grade da janela de um café em Borralheira de Orjais, Covilhã.
Pois bem, os "meninos" que estavam em prisão preventiva no Estabelecimento Prisional da Covilhã, mas foram libertados por decisão do Tribunal da Relação de Coimbra. Com que fundamento não sei nem estou interessado.
O que eu sei é que os artistas sairam do local onde deviam estar. E se o motivo da saída foi o novo Código de Processo Penal (eu acho que não é só), mude-se imediatamente o Código.

Lembram-se da série dos Marretas? Nela existiam dois velhos que se entretinham a dizer mal de tudo e de todos.
Pois bem, por cá, neste fim de semana, também tivemos os "nossos velhos". O palco foi o "Expresso" e as personagens foram o Pacheco Pereira e António Barreto.
Eu não digo que não existam algumas coisas em que eles até não tenham razão, mas, dar em tudo e em todos é só olhar para o umbiguinho deles, e isso é feio, porque até parece que paira no ar uma certa dor de cotovelo. Será?!

29 de dezembro de 2007

Só se fossemos parvos. Era preciso que fossemos de todo ignorantes para acreditar que a morte da ex-primeira ministra e actual líder da oposição Benazir Bhutto tinha sido obra da Al-Qaeda.
Deixando de lado a questão referida por Maulvi Omar, falando em nome de Baitullah Mehsud presumível líder do grupo no Paquistão, de que «as tribos têm os seus próprios costumes e nós não atacamos mulheres», é um facto que esta morte só interessa ao actual presidente paquistanês Musharraf.
Como todos sabem estão marcadas eleições para 8 de Janeiro, sendo certo que o actual presidente apesar de ter o beneplácito dos americanos, estava numa posição periclitante, face a Benazir.
Sendo assim era de todo o interesse acabar com esta candidata, por forma a assegurar a vitória. Claro que empurrar o assassinato para o gupo de Bin Laden só traz vantagens.
O presidente paquistanês, ao endereçar as culpas para a Al-Qaeda, está a ganhar em todos os campos.
Primeiro, porque desaparece o seu grande opositor.
Segundo, porque coloca sobre o grupo de Bin Laden o odioso da questão, o que para ele é bom porque faz com que o gupo armado que sempre tem provocado grandes distúrbios perca uma grande base de apoio.
Terceiro, porque ajuda os amigos americanos que não se cansam de propagandear que a Al-Qaeda deve ser banida da face da terra.

Absolutamente incrível. Mas que bodega de oposição é esta? Onde está a dignificação da política.

Para quem gostar de balanços, aqui fica o do Ípsilon.

25 de dezembro de 2007

Este vídeo deve ter provocado grandes azias na consoada.

Voltamos ao mesmo. Depois de uma inexplicável e nunca vista benção das grávidas, o Cardeal Patriarca de Lisboa decidiu, na missa do dia de Natal, na Sé de Lisboa, avançar com uma homilia deveras reveladora.
Disse então D. José Policarpo que «todas as expressões de ateísmo, todas as formas existenciais de negação ou esquecimento de Deus, continuam a ser o maior drama da humanidade, que tiram todo o sentido ao Natal, que é a exultação e o grito de alegria e de esperança que brotou do reencontro do homem com Deus» e que «esse é, também, o testemunho que nós, que celebramos o Natal com alegria, damos aos nossos contemporâneos: Deus existe, ama-nos, está próximo de nós, é uma promessa libertadora de amor, é a fonte da verdadeira esperança; e tudo isto nos é dado por este Menino que nasceu para nós e é Deus connosco».
O Cardeal acrescentou que "se Cristo é a Vida, só Ele pode ser o fundamento da esperança verdadeira, que resiste a todas as dificuldades e vicissitudes» e que «n'Ele é possível viver da esperança, mesmo quando todas as esperanças humanas se apagaram», sendo que «acreditar em Jesus Cristo é unir-se a Ele, ser um com Ele, partilhar, desde já, a vida d'Ele, vida plena e definitiva, aquela que Deus desejou para o homem ao criá-lo à Sua imagem».
Mas D. José não se quedou por aqui e referiu que as «filosofias e ideologias, revoluções e transformações sociais, progresso científico e tecnológico», que «acreditaram e prometeram que era possível chegar a uma sociedade onde todos os homens fossem felizes e encontrassem a plenitude da vida», esqueceram que o progresso material não é a única componente da felicidade humana, o Cardeal Patriarca de Lisboa lembrou que «não é a ciência que redime a pessoa humana».
«Os diversos ateísmos, nas mais variadas expressões, tiveram origem neste reduzir a esperança humana à dimensão da história, e numa visão de felicidade que o homem pode construir», explicou José Policarpo, sublinhando que «celebrar o Natal exige o reencontro profundo com a primazia de Deus na nossa vida, pede-nos que revejamos as noções de felicidade e de progresso, de sociedade perfeita e de liberdade».
A conclusão do Cardeal Patriarca foi que «a nossa vida descobre-se em Deus. E isso foi-nos tornado possível por aquele Menino que nasceu para nós, o Verbo eterno de Deus feito homem».
Tudo isto é muito interessante, como foram as palavras de Bento XVI na bênção urbi et orbi sobre a paz, só que importa que quer um quer outro não se esqueçam que são as acções e as ideias que os representantes de Deus no Mundo assumem que provocam afastamento, ruptura e ateísmo e agnosticismo.
Importa salientar que muito do que hoje é transmitido não se incorpora na mensagem de Deus.

24 de dezembro de 2007

Voltando ao post de ontem deixo aqui as palavras de Menezes no sábado. O presidente do PSD apelou para «não ter o descaramento de voltar a nomear alguém marcadamente socialista».
Claro. Nomeie o Cadilhe que é um rapaz isento.
Talvez seja melhor o homem parar de se aventurar em produzir observações sobre os novos administradores da CGD, já que cada vez que abre a boca, foge-lhe o "pé para o chinelo".

Não sei se estão lembrados do que aqui escrevi sobre a OPA da Sonaecom à PT, nomeadamente na questão da participada brasileira Vivo.
Eu disse que a Telefónica espanhola estava do lado da Sonae porque tinha a garantia de com este apoio colher dividendos na Vivo, já que a Sonae não pretendia aventuras no Brasil.
Pois bem, a confirmação de que tudo isso era verdade apareceu este fim-de-semana através de uma notícia do "Expresso" onde é salientado o despedimento do ex-ministro do PSD Viana Baptista e hoje elemento da administraçãoda Telefónica por ter aconselhado a empresa espanhola a apoiar a Sonae em detrimento da PT, originando assim uma situação pouco agradável para os espanhóis na operadora brasileira Vivo.

23 de dezembro de 2007

Vamos lá à crise do BCP. Já estávamos a adivinhar, e depois do que ontem disse, que as coisas iam ficar difíceis para os actuais e antigos administradores do Millenium/BCP.
Estando de saída a administração da CGD e tendo esta desempenhado as funções de forma competente e a contento de todos é normal que os elementos sejam de imediato repescados para outros locais.
Por tal, e estando mais que demonstrado que nem Pinhal, nem de Beck tem condições para continuar, era normal que os accionistas demonstrem vontade por quem desempenhou bem as suas funções.
Claro que Filipe Menezes tinha que vir a terreiro, a sua veia populista impede-o de se manter calado, mesmo que o assunto ultrapasse os meandros da política.
Menezes afirmou aos jornalistas, à entrada para uma iniciativa da JSD, que decorreu esta tarde na sede do PSD/Porto «já não chega a tutela sobre a Caixa Geral de Depósitos (CGD), colocada completamente ao serviço do projecto socialista, como agora o apetite já está no BCP», esquece-se que o poder no BCP é dado pelos accionistas e não pelo Governo. Mais, não ouvi qualquer crítica quando um alto quadro do PSD, Paulo Teixeira Pinto, foi chefiar o BCP.
Mas como atacar Santos Ferreira, considerado por todos um excelentre quadro, não é fácil, nem politicamente correcto, Menezes optou por trazer para terreiro o nome de Armando Vara, também ele elemento da administração da CGD e também ele de saída.
Menezes deve começar a rever os vídeos sobre o que disse enquanto disputava a corrida à presidência do PSD com Mendes, para depois não cair em contradições patéticas.
Num debate na SICNotícias entre Menezes e Mendes, o primeiro referiu que não criticava a ida de Vara para a Caixa porque quem tem capacidade para ser ministro, também tem capacidade para ser vogal da administração da CGD.
Então se era assim quando Menezes disputava o lugar de Mendes, porque que é que agora que já ocupa o referido lugar, tudo tem de ser diferente.
Pior que isso, como é que alguém depois de ter este paleio todo tem o desplante de dizer que Cadilhe «seria um grande presidente da CGD», afirmando que «está na altura de o Governo nomear para presidente da CGD uma personalidade próxima da área do maior partido da oposição».
Isto não é pensar na instituição, é pensar no maior partido da oposição e assim, adeus credibilidade.

E agora uma prenda boa e agradável. Cinco novos sítios na internet de outros tantos museus dependentes do Instituto dos Museus e da Conservação acabam de ser disponibilizados aos cibernautas.
Entre os estreantes online, encontram-se o Museu D. Diogo de Sousa (www.mdds.imc-ip.pt), o Museu de Évora (www.museudevora.imc-ip.pt), o Museu da Guarda (www.museudaguarda.imc-ip.pt), o Museu de José Malhoa (www.mjm.imc-ip.pt) e o Museu Nacional de Machado de Castro (www.mnmachadodecastro.imc-ip.pt).

22 de dezembro de 2007

Leiam até ao fim e vejam o artista na sua essência. Melhor só por encomenda.

Ontem falei da "Galega", hoje falo da Polícia Municipal de Lisboa. Não se trata de comparação nenhuma. Trata-se simplesmente de verificarmos o exceder até ao ridículo.
E não se trata de figuras públicas, actores, apresentadores, etc. Trata-se de um procedimento cego para com uma organização que será uma das mais activas e representativas do combate contra a exclusão social.
A Polícia Municipal de Lisboa mais não fez do que "atacar" a AMI e isso era escusado, até porque é comum encontrarmos carros estacionados naquele mesmo local e não é um nem dois, são muitos mais.

Jardim Gonçalves, Filipe Pinhal, Christopher de Beck, Alípio Dias, entre outros, não vão esquecer esta quadra natalícia tão cedo. As prendas vieram mais cedo e não foram entregues pelo homem da Lapónia, mas sim pelo madeirense que fala um português arrevezado, misturado com um inglês macarrónico aprendido na África do Sul.
Foi pois Berardo o condutor do trenó, coadjuvado por Constâncio, Tavares e Pinto Monteiro que embelezaram a quadra natalícia do Millenium.
Nesta embrulhada toda e sabendo nós a quem calhou a fava, resta saber se será a Carlos Santos Ferreira que caberá o brinde.

21 de dezembro de 2007

Por cá a EMEL puxava do bloqueador, amarrava aos quartos trazeiros da "Galega", colava o autocolante no focinho do animal e ponto final.
Lá em baixo deu nisto.
Qual provincianos, qual quê?! Estúpidos, isso sim, que aturamos cavalidades destas.

Muito gostam eles de cores. Já foi o verde, agora é o branco. Tanta coisa para um futuro tão negro.

O PS e o PSD entregaram ontem no Parlamento o projecto de lei conjunto da nova lei eleitoral autárquica. É um projecto do qual não gosto e nem me revejo, penso aliás que desvirtua a nossa tradição municipalista.
Entre outras novidades este projecto confere à Assembleia Municipal o poder de apresentar moções de rejeição ao executivo, desde que aprovadas por uma maioria de três quintos. Ao segundo chumbo consecutivo, a câmara cai. Para além desta uma outra novidade merece destaque: os presidentes das juntas de freguesia não têm direito de voto nas moções de rejeição e na apreciação do programa do executivo camarário.
O Partido Socialista vai-se arrepender amargamente de ter sido parte neste negócio.

Para terminar, nada melhor que a nota publicada pelo PCP sobre o salário mínimo. Diz então assim:
"O anúncio feito da fixação do valor do Salário Mínimo Nacional para 426 euros mensais em 2008 constitui uma derrota da estratégia das associações patronais e só foi possível com a forte e persistente luta dos trabalhadores dinamizada pela CGTP-IN, que derrotou a estratégia de degradação do poder de compra e o ataque ao SMN"
Não sei se foi Chacrinha, Anísio ou Agildo que num programa disseram: tudo veado, ma bonito.
Pois bem, eu sobre o texto sou capaz de dizer: tudo mentira, mas um português escorreito.

Agora, para terminar, resta-me deixar aqui os meus votos de:
Acholi - Mot ki Yomcwing Botwo Me Mwaka Manyen
Adhola - Wafayo Chamo Mbaga & Bothi Oro Manyeni
Aeka- Keremisi jai be
Afrikaans - Geseende Kerfees en 'n gelukkige
nuwe jaar
Ahtna - C'ehwggelnen Dzaenh
Aklanon - Malipayon nga Paskwa ag Mahigugmaon nga Bag-ong Dag-on
Albanian - Gëzuar Krishlindjet Vitin e Ri!
Aleut - Kamgan Ukudigaa
Alsatian - E gueti Wïnâchte & E glecklichs Nej Johr!
Alur - Wafoyo Kado Oro & Wafoyo Tundo Oro manyeni
Alutiiq - Spraasnikam & Amlertut Kiaget!
Amharic - Melkam Yelidet Beaal
Amuesha - Yomprocha' ya' nataya
Andalusian - Felíce Pahjcua y Felí Año, or Felí Navidá y Próhjpero Año Nuevo
Angami - U kenei Christmas mu teicie kes a-u sie teicie kesa-u sie niepete keluo shuzaie we
Apache (Western) - Gozhqq Keshmish
Arabic - I'D Miilad Said ous Sana Saida
Aragonese - Nabidà! & Goyosa Añada benién.
Aramaic - Edo bri'cho o rish d'shato brich'to!
Aranés - Bon Nadau!
Arawak - Aba satho niw jari da'wisida bon
Armenian - Shenoraavor Nor Dari yev Soorp Janunt
Aromanian - Crãciunu hãriosu shi unu anu nãu, bunu!
Araucanian - Wi tripantu in che
Asturian - Bones Navidaes & Gayoleru anu nuevu!
Assamese - Rongaali Bihur xubhessaa lobo
Ata - Maroyan na Pasko woy kaopia-an ng Bag-ong Tuig kaniyo't langon mga sulod
Aukan - Wi e winsi i wan bun nyun yali
Aymara - Sooma Nawira-ra
Azeri - Tezze Iliniz Yahsi Olsun
Bafut - Mboni Chrismen & Mboni Alooyefee
Bahasa/Malaysia - Selamat Hari Natal dan Tahun Baru
Bamoun - Poket Kristmet & Poket lum mfe
Banen - Enganda ye hiono mes & Hion Hios Hes
Bandang - Mbung Mbung Krismie & Mbung Mbung Ngouh Suiie
Basque - Zorionak eta Urte Berri On!
Bassa - Ngand Nwi Lam & Mwi Lam
Batak Karo - Mejuah-juah Ketuahen Natal
Bemba - Kristu abe nenu muli ino nshiku nkulu ya Mwezi
Belorussian - Winshuyu sa Svyatkami i z Novym godam!
Bengali - Shuvo Baro Din - Shuvo Nabo Barsho
Bhojpuri - Naya Sal Mubarak Ho
Bicolano - Maugmang Capascuhan asin Masaganang Ba-gong Taon!
Bislama - Mi wisim yufala eerywan one gutfala Krismas & mo wan hapi New Year long
Blaan - Pye duh di kaut Kristo klu munt ug Felemi Fali!
Blackfoot - I'Taamomohkatoyiiksistsikomi
Bohemian/Czech - Prejeme Vam Vesele Vanoce a Stastny novy rok
Brahui - Arkas caik xuda are
Breton - Nedeleg laouen na bloav ezh mat
Bulgarian - Chestita Koleda i Shtastliva Nova Godina
Bulu - Duma e bo'o
Bura - e be Zambe e Usa ma ka Kirisimassu
Catalan - Bon Nadal i feliç any nou!
Cantonese - Seng Dan Fai Lok, Sang Nian Fai Lok
Carib - Sirito kypoton ra'a
Carrier - Zoo dungwel & Soocho nohdzi doghel
Carolinian - Ameseighil ubwutiiwel Layi Luugh me raagh fee
Cebuano - Malipayong Pasko ug Bulahang Bag-ong Tuig!
Chamorro - Filis Pasgua & Filis Anu Nuebo
Chaha Bogem h n mh m & Boxem as nana-h m
Chamba - Wi na ge nyare Su dome Kirismass
Cherokee - Danistayohihv & Aliheli'sdi Itse Udetiyvsadisv
Cheyenne - Hoesenestotse & Aa'e Emona'e
Chichewa - Moni Wa Chikondwelero Cha Kristmasi
Chiga - Mwebare khuhika - Ha Noel
Choctaw - Yukpa, Nitak Hollo Chito
Cornish - Nadelik looan na looan blethen noweth
Corsican - Bon Natale e Bon capu d' annu
Cree - Mitho Makosi Kesikansi
Creek - Afvcke Nettvcakorakko
Creole/Seychelles - Bonn e Erez Ane
Croatian - Sretan Bozic
Dagbani - Ni ti Burunya Chou & Mi ti yuun
Damara/Nama - Khiza
Danish - Glædelig Jul og godt nytår
Dibabawon - Marayaw na Pasko aw Bag-ong Tui g kaniyo tibo na mga soon
Dinka - Miet puou yan dhiedh Banyda tene Yin
Dine/Navajo - Ya'at'eeh Keshmish
Divehi - Ufaaveri aa ahareh
Dschang - Chrismi a lekah Nguo Suieh
Duri - Christmas-e- Shoma Mobarak
Dutch - Vrolijk Kerstfeest en een Gelukkig Nieuwjaar!
Egyptian - Colo sana wintom tiebeen
English - Merry Christmas & Happy New Year
Eritrean - Rehus-Beal-Ledeat
Esperanto - Gajan Kristnaskon & Bonan Novjaron
Estonian - Rõõmsaid Jõulupühi ja Head uut aastat
Ethiopian - enkuan le berhane ledtu adrswo
Éwé - Blunya na wo
Ewondo - Mbemde abog abyali nti! Mbembe Mbu!
Faroese - gleðilig jól og eydnuríkt nýggjár!
Fali - Use d'h Krismass
Farsi - Sal-e no mubarak
Fijian - Me Nomuni na marau ni siga ni sucu dei na yabaki vou
Finnish - Hyvää Joulua or Hauskaa Joulua - 0nnellista uutta vuotta
Flemish - Zalig Kerstfeest en Gelukkig nieuw jaar
French - Joyeux Noël et Bonne Année!
Frisian - Noflike Krystdagen en in protte Lok en Seine yn it Nije Jier!
Friulian - Bon Nadâl e Bon An Gnûf
Fulfulde - Jabbama be salla Kirismati
Gaddang - Mangamgam Bawa a dawun sikua diaw amin
Galician - Bon Nadal e Bo Ani Novo
Gari - !Soalokia God i gotu vasau, mi lao ke ba na rago vanigira ara dou i matana!
Gciriku - Mfiyawidi yaKrisimisa & Marago ghaMwaka waUpe
Georgian - Gilotsavt Krist'es Shobas & Gilosavt akhal ts'els
German - Fröhliche Weihnachten und ein glückliches Neues Jahr!
Gikuyu - Gia na Thigukuu njega Na MwakaM weru wi Gikeno
Gitskan - Hisgusgitxwsim Ha'niisgats Christ gankl Ama Sii K'uuhl!
Golin - Yesu kule nongwa kaun umaribe ongwa ena mone di mile wai wen milo
Greek - Kala Christougenna Ki'eftihismenos O Kenourios Chronos
Greenlandic - Juullimi Ukiortaassamilu Pilluarit
Guahibo - Pexania Navidadmatacabi piginia pexaniapejanawai paxainaename
Guambiano - Navidadwan Tabig tugagunrrigay & Sru pilawan kasrag utunrrigay
Guarani - Avyaitete ahi ko Tupa ray arape qyrai Yy Kapyryin rira
Guarayu - Imboeteipri tasecoi Tupa i vave! & Ivve ava Tupa rembiaisu toyuvirecoi turpi oyeaisusa pipe!
Gujarati - Natal ni shub kaamnao & Saal Mubarak
Gwere - Osusuku Omusa & Masuke Omwaka
Gwich'in - Drin tsal zhit shoh ohlii & Drin Choo zhit zhoh ohlii
Han - Drin tsul zhit sho ahlay & Drin Cho zhit sho ahlay
Hausa - Barka da Kirsimatikuma Barka da Sabuwar Shekara!
Hawaiian - Mele Kalikimaka & Hauoli Makahiki Hou
Haya - Waihuka na Noeli & Waihhuka n 'Omwaka
Hebrew - Mo'adim Lesimkha. Shanah Tova
Heiban - Ati kalo gathje uwa gigih
Herero- Okresmesa ombwa Ombura ombe ombwa
Hiligaynon - Malipayon nga paskua & Malipayon Nga Bag-ong tuig
Hindi - Shubh Naya Baras
Holo - Seng-tan khoai-lok!
Hmong - Nyob Zoo Xyoo Tahiab
Hungarian - Kellemes karácsonyi ünnepeket és Boldog újévet!
Hungduan - Maphon au nitungawan. Apo Dios Kituwen baron di toon
Iban - Selamat Ari Krismas enggau Taun Baru
Ibanag - nga Pascua
Icelandic - Gleðileg Jól og Farsaelt Komandi ár!
Igbo - Ekelere m gi maka Keresimesi na ubochi izizi afo ozo
Ikiribati - Te Mauri, Te Raoi ao Te Tabomoa nakoimi nte Kirimati ao te Ririki ae Bou
Ilocano - Naimbag a Pascua ken Naragsac nga Baro nga Tawen!
Imbongu - Gotenga malo Jisasi Karaist
Indonesian - Selamat Hari Natal & Selamat Tahun BaruInuktitut- quviasupvisiutsiarit arraagurmilu nutaami !
Inupiaq - Annaurri Aniruq & Paglaun Ukiutchiaq
Inupiatun - Quvianaq Agaayuniqpak
Iraqi - Idah Saidan Wa Sanah Jadidah
Irish - Nollaig Shona Dhuit
Iroquois - Ojenyunyat Sungwiyadeson homungradon nagwutut & Ojenyunyat osrasay
Italian - Buon Natale e Felice Anno Nuovo
Japanese - Shinnen omedeto. Kurisumasu Omedeto
Javanese - Sugeng Natal lan warsa enggal
Jèrriais - Bouan Noué et Bouanne Année
Kabyle - Assegwas ameggaz
Kadazan - Kotobian Tadau Do Krimas om Toun Vagu
Kahua - Na vagevageha surireua na Kirisimasi ma na harisi naoru
Kala Lagaw Ya - Ngi ngayka Koei trimal Kaz
Kambaata - eman haaro wegga illisholce
Kamba - Ithiwa na Kisimsi Kiseo & Na Mwaka Mweu Museo
Kannada - Hosa Varushada Subhasayagalu
Karelian - Rastawanke Sinun, Uvven Vuvenke Sinun
Kaqchiquel - Dios tik'ujie' avik'in
Kashmiri - Christmas Id Mubarak
Kawalib - Amirnar Krismas Gi
Khasi - Krismas basuk & Snem thymmai basuk
Kinyarwanda - Umunsi Mwiza
Kirundi - Noeli Nziza & Umwaka Mwiza
Kom - Isangle Krismen & Isangle beng i fue
Konkoni - Khushal borit Natalam
Korafe - Keremisi ewewa
Korean Sung Tan Chuk Ha
Kosraean - Tok Tapeng & Engan ya sasu
Koyukon - Denaahto' Hoolaank Dedzaanh Sodeelts'eeyh
Krio - Appi Krismes en Appi Niu Yaa
Kuanua - A Bona Lukara na Kinakava
Kurdish - Seva piroz sahibe u sersala te piroz be
Kwangali - Kerekemisa zongwa & Erago moMumvho gomupe
Kyrghyz - JangI jIlIngIz guttuu bolsun!
Ladin - Bon Nadel y Bon Ann Nuef
Lakota - Wanikiya tonpi wowiyuskin & Omaka teca oiyokipi
Lamnsó - Kisheri ke Kisimen & Vijung ve kiya kefiyki
Lango - Afoyo Chamo Mwake & Apoyo Mwaka Manyeni
Latin - Pax hominibus bonae voluntatis
Latvian - Prieci'gus Ziemsve'tkus un Laimi'gu Jauno Gadu!+
Lausitzian - Wjesole hody a strowe nowe leto
Lebanese - Milad Saeed wa Sanaa Mubarakah
Limburgisch - ne gooie keersmès en e zaolig nujjaor!
Lithuanian - Linksmu Kaledu ir laimingu Nauju metu
Livonian - Jovi talshpivdi un Vondzist uto aigasto
Lower Tanana - Bet'oxdilt'ayi bedena' ch'exulanhde dranh ninoxudedhet
Lozi - Kilisimasi ya nyakalalo & Silimo se sinca sa tabo
Luganda - Amazalibwa Agesanyu & N'Omwaka Omujaa Ogwemirembe
Luhya - Isuguku Indahi & Nu Muhiga Musha
Luo - Sikuku Mar Higa Kod Mor & Mar Kiga Manyien
Luritja - Wai! Nyuntu Larya?
Luxembourgeois - Schéi Krëschtdeeg an e Schéint Néi Joer
Macedonian - Srekan Bozik I Nova Godina
Madura - Pada salamet sabhala bengko areja
Makassar - Salama' Natal & Selamat Tahun baru
Malagasy - Arahaba tratry ny Krismasy
Mambwe - Kristu aye namwe umu nsikunkulu ino iya Mwezi
Malayan - Selamat Hari Natal
Malayalam - Christumas Mangalangalangal & Puthuvalsara Aashamsakal
Maltese - Nixtieqlek Milied Tajjeb u Sena Tajba
Mandarin - Kung His Hsin Nien bing Chu Shen Tan
Mandobo - Mepiya Pagasaulog sa pagka-otawni Jesus aw maontong kaling Omay!
Mangyan - Mayad paq Pasko kag
Mansaka - Madyaw na Pasko aw malipayong Bag-ong Tuig kamayo, mga lumon
Manx - Nollick ghennal as blein vie noa
Maori - Kia orana e kia manuia rava i teia Kiritimeti e te Mataiti Ou
Marathi - Shub Naya Varsh
Margi - Use aga Kirismassi
Marshallese - Monono ilo raaneoan Nejin & Jeramman ilo iio in ekaal
Mataco-Mataguayo - Lesilatyaj ihi Dios ta i ppule ye, Letamsek ihi wichi ta Dios ikojejthi ta i honat e
Maya/Yucateco - Utzul mank'inal
Medlpa - Enim Mutuiyo!
Meithei - Krismas Hlomum & Kumthar Lawmum
Mingrelian - k'irses mugoxuamant & axal ts'anas mugoxuamant
Mongolian - Zul saryn bolon shine ony mend devshuulye
Monégasque - Festusu Natale e Bona ana noeva
Moro - Nidli pred naborete nano
Moru - Medu amiri ovuru Yesu opi amaro
Muyu - Lip Ki amun aa Natal Kowe
Naasioi - Tampara Kirisimaasi
Naskapi - miywaaitaakun mikusaanor & kiyaa maamiyupiyaakw minuwaach pipuun
Ndjem - Mbeya mbeya Ebiel & Mbeya mbeya mbu
Ndogo - Esimano olyaKalunga gwokombandambanda! & Nombili kombanda yevi maantu e ya hokwa!
Ndonga - Okrismesa iwa & Omude Mupe wa Punikwa
Nepali - krist Yesu Ko Shuva Janma Utsav Ko Upalaxhma Hardik Shuva & Naya Barsa Ko harkik Shuvakamana
Newari - Nhu Da Ya Vintuna
Nii - Nim Ono
Niuean - Monuina a Aho Kilisimasi mo e Tau Foou
Norweigan/Nynorsk - eg ynskjer hermed dykk alle ein god jul og godt nyttår
Norweigan/Bokmål - God Jul og Godt Nyttår
Notu/Ewage - Keremisi dave be
Nyanja - Kristu akhale ndi inu munyengo ino ya Christmas
Nyankore Mukhulukhe Omwaka
Occitan - Polit nadal e bona annada
Ojibwe (Chippewa) - Niibaa' anami'egiizhigad & Aabita Biboon
Oneida - Wanto'wan amp; Hoyan
Oriya - Sukhamaya christmass ebang khusibhara naba barsa
Orokaiva - Keremisi javotoho
Oromo - baga wagaa hara isinin gaye
Palauan - Ungil Kurismas
Pompangan - Malugud Pascu at saca Masayang Bayung Banua!
Pangasinan - Maabig ya pasko & Maliket ya balon taon
Papiamento - Bon Pasco i Feliz Aña Nobo
Pashto - De Christmas akhtar de bakhtawar au newai kal de mubarak sha.
Pennsylvania German - En frehlicher Grischtdaag unen hallich Nei Yaahr!
Pohnpeian - Peren en Krismas & Peren en Parakapw
Polish - Wesolych Swiat i Szczesliwego Nowego Roku.
Portuguese - Boas Festas e um feliz Ano Novo
Punjabi - Nave sal di mubaraka
Pashto - Christmas Aao Ne-way Kaal Mo Mobarak Sha
Q'anjob'al - chi woche swatx'ilal hak'ul yet yalji Komami'
Quechua - Sumaj kausay kachun Navidad ch'sisipi & Mosoi Watapi sumaj kausay kachun
Quiche' - Dioa kkje' awuk'
Rapa-Nui - Mata-Ki-Te-Rangi & Te-Pito-O-Te-Henua
Rarotongan - Kia akakakaia te Atua i runga i te rangi Teitei, e ei au to to teianei ao, e kia aroaia mai te tangata nei.
Rengma - Anu keghi Christmas nu amapi kethighi wa salam pi nthu chupenle
Rheto-Romance - Bella Festas daz Nadal ed in Ventiravel Onn Nov
Romani - Bachtalo krecunu Thaj Bachtalo Nevo Bers
Romanian - Craciun fericit si un An Nou fericit!
Rongmei - Mei kathui nata neila mei Khrisrmas akhatni gai mei tingkum kathan tu-na arew we
Roviana - Mami tataru Kirisimasi koa gamu doduru meke qetu qetu vuaheni vaqura ia Russian - Pozdrevlyayu s prazdnikom Rozhdestva i s Novim Godom
Salar - YangI yilingiz gotlI bulsIn!
Sambal - Maligayang Pasko at Masayang Ba-yon Taon!
Sámi - Buorit Juovllat ja Buorre Oddajahki
Saamia - Muwule Omwaka Enjaya
Samoan - Ia manuia le Kilisimasi ma le tausaga fou
Sango -Gloire na Nzapa na ndouzou aho kouè, Na siriri na ndo sessé na popo ti ajo so amou nguia na Lo.
Santali - Raska nawa Serma
Saramaccan - Nuan wan suti jai o!
Sardinian - Bonu nadale e prosperu annu nou
Scots Gaelic - Nollaig chridheil agus Bliadhna mhath ur!
Secoya -Sihuanu'u Ejaerepa aide'ose'ere & Sihuana'u huaje ametecahue
Semandang - Selemat gawai Natal
Seneca - a:o'-e:sad yos-ha:-se:'
Serbian - Sretan Bozic. Vesela Nova Godine
Sicilian - Bon Natali e Prosperu Annu Novu !
Sinhala - Subha nath thalak Vewa. Subha Aluth Awrudhak Vewa
Slavey - Teyatie Gonezu
Soga - Mwisuka Sekukulu
Songe - Kutandika kua Yesu kuibuwa! & Kipua kipia kibuwa!
Sorani - Newroz le to Piroz be
Sorbian - Wjesole hody a strowe Nowe leto.
Somali - ciid wanaagsan iyo sanad cusub oo fiican.
Sotho/North - Mahlatsi a Matswalo a Morena le Ngwaga o Moswa
Sotho/South - Litakalerso Tse Monate Tsa Kere Semese Le Mahlohonolo a Selemo Se Secha
Slovakian - Vesele Vianoce a stastny novy rok
Slovene - Vesele bozicne praznike in srecno novo leto
Sorbian - Wjesole hody a strowe Nowe leto
Spanish - Feliz Navidad y Próspero Año Nuevo
Sranan - Wan switi kresneti nanga wan bun nyun yari!
Subanen - Piak Pasko Pu Piag Bago Tawn

Sudanese - Wilujeng Natal Sareng Warsa Enggal
Suena - Kerisimasi kokopai
Surigaonon - Malipayon na pasko sanan bag-on tuig!
Swahili - ºKrismas Njema Na Heri Za Mwaka Mpyaº
Swazi - sinifisela khisimusi lomuhle nemnyaka lomusha lomuhle
Swedish - God Jul och Gott Nytt År
Tagalog - Maligayang Pasko at Manigong Bagong Taon
Tahitian - Ia ora i te Noere e ia ora na i te matahiti 'api
Tagakaulu - Madyaw Pagsalog sa Pagka-otaw ni Jesus & Aw mauntong na bago Umay!
Tala Andig - Maayad ha pasko daw bag-ong tuig
Tamazight - Asseggwas Ameggaz
Tarifit - Asuggas Asa'di
Tamil - Nathar Puthu Varuda Valthukkal
Tanaina - Natukda Nuuphaa
Tasmanian - munto ag lag unti frinto ling dum ach tak
Tayal - Pqaquasta ta. Pquasta hentang na Jesu
Telugu - Christmas Shubhakaankshalu & Nootana Samvatchara Subhakanshalu
Thai - Suksan Wan Christmas lae Sawadee Pee Mai
Tlingit - Xristos Khuwdziti kax sh kaxtoolxetl
Tok Pisin - Meri Krismas & Hepi Nu Yia
Tokelau - Ke whakamanuia te Kirihimahi & Tauhaga Fou fiafia
Tonga - Kristo abe anduwe muciindo ca Christmas
Tongan - Kilisimasi Fiefia & Ta'u fo'ou monu ia
Toraja - Salama' Natal & Selama' taun baru
Trukese - Neekirissimas annim oo iyer seefe feyiyeech!
Tshiluba - Diledibua dilenga dia Mfumu - Tshidimu tshipia - tshipia th silenga
Tswana - Keresemose o monate le masego a ngwaga o montsha
Tubetube - Yayaliyaya Yesu sikabi kaiwena
Tumbuka - Kristu wabe namwe munyengo ya Christmas
Turkish - Noeliniz Ve Yeni Yiliniz Kutlu Olsun
Tutchone/Northern - Ut'ohudinch'i Hulin Dzenu & Eyum nan ek'an nenatth'at danji te yesohuthin ch'e hadaatle sh'o
Ukrainian - Veseloho Vam Rizdva i Shchastlyvoho Novoho Roku!
Umbundu - Natale, Natale, Oyo O Natale & Eteke Lio Bowano, Illimo Ciwa
Urdu - Naya Saal Mubarak Ho
Uvean - Italo fa ide tau fou nei eseke
Uyghur - YanghI yiling ahlqIs bolgey!
Valencian - Bon Nadal i millor any nou
Vespi - Rastvoidenke i Udenke Vodenke
Vietnamese - Chuc Mung Giang Sinh - Chuc Mung Tan Nien
Votian - Yvaa rashtagoa! & Yvaa uutta vootta!
Waray-Waray - Maupay nga Pasko ngan Mainuswagon nga Bag-o nga Tuig!
Warlpiri - Miri Kirijimiji & Nyuntunpa Ngurrju nyayirni yapa
Welsh - Nadolig LLawen a Blwyddyn Newydd Dda
Yup'ik/Central - Alussistuaqegcikici
Yupik/Siberian - Quyanalghii Kuusma & Quyangalleq Nutaghamun Aymiqulleq
Xhosa - Siniqwenelela Ikrisimesi EmnandI Nonyaka Omtsha Ozele Iintsikelelo Namathamsanqa
Yiddish - Gute Vaynakhtn un a Gut Nay Yor
Yoruba - E ku odun, e ku iye' dun!
Zarma - Barka da Issa hay-yan hann & Barka da djiri barey-yan
Zaza - Newroz'a tu Piroz be
Zia - Kerisimasi wosewa
Zime - El ma ka bar vra aso vei Lu & El ma ka kim na mireu
Zulu - Sinifesela Ukhisimusi Omuhle Nonyaka Omusha Onempumelelo

Isto é que é globalização.

Agora a sério a sério

Feliz Natal para todos

20 de dezembro de 2007

O grupo Parlamentar do Partido Socialista foi ontem até São Bento onde decorreu o Jantar de Natal desse mesmo grupo. Frente a cerca de duzentas pessoas José Sócrates lembrou os resultados obtidos pelo Governo em 2007, destacando as questões económicas e sociais.
Agora, o curioso de tudo isto não foi ter havido jantar. O curioso foi Manuel Alegre se ter sentado na mesa onde Sócrates se ia sentar.
Convém não esquecer que Alegre para além de ter um diferendo com Sócrates, tem sido um crítico acérrimo do Governo, do Primeiro-Ministro e também do Secretário-Geral do PS.
Ora eu, no caso de Alegre, por uma questão de dignidade e pundonor para comigo mesmo, nunca me teria sentado na mesma mesa. E não me lixem com a teoria de que é Natal...

Ontem, aquele que a oposição designa por incompetente, burocrata e outros epítetos que tais, arrecadou uma dupla vitória para Portugal. Estou a referir-me a Jaime Silva, ministro da Agricultura e Pescas.
O aumento de quotas de pesca e restruturação da vinha portuguesa nos moldes em que foram negociados é uma vitória demasiado importante para que não seja reconhecida e lamento que os carrascos de outrora não tenham agora coragem de publicamente dar os parabéns pelos resultados obtidos.
Numa altura em que os dois campos estão a sofrer um ataque fortíssimo (os vinhos portugueses estão a sofrer uma pressão violentíssima por parte de vinhos produzidos no Novo Mundo) este resultado é uma lufada de ar fresco.
Agora é importante que tudo seja feito com total transparência e que possibilite a reorganização e o desenvolvimento necessários.

E porque falamos em agricultura. É preciso castigar seriamente os culpados por tudo o que aconteceu na Herdade de Vale Médico.
Nesta Herdade foram abandonados 200 animais, na sua maioria porcos.
Uns morreram à fome, outros estavam doentes... enfim um verdadeiro atentado contra a saúde pública.
Ao que parece a situação ilegal em que laborava esta Herdade já era do conhecimento do município de Alcácer do Sal desde desde o ano de 2000, com base em diversos ofícios emitidos pelo Ministério da Agricultura.
É igualmente certo que o proprietário possui uma outra exploração no concelho, esta devidamente legalizada e que foi por estar descapitalizado (afirmações dele) que deixou de ter condições para alimentar os animais.
Isto é uma desculpa reveladora de baixo carácter. Aliás são casos destes e o das descargas na Ribeira dos Milagres que mostram muita da fina flor que se encontra à frente das explorações deste tipo.
E já agora deixo aqui um apelo ao ministério da Agricultura: não se esqueçam de incluir o artista na lista de subsídios a atribuir seja para o que for.

Agora uma boa notícia. O Museu de Serralves do Porto está à distância de um clik. Basta www.serralves.pt para poder aceder, a partir de hoje, a imagens e informação sobre pinturas, esculturas, fotografias ou instalações de artistas como Paula Rego, Julião Sarmento, Fernando Lanhas, Alberto Carneiro, Álvaro Lapa, Eduardo Batarda, Pedro Cabrita Reis, Claes Oldenburg ou Richard Long.
São 3300 obras posteriores a 1968. A colecção de Serralves integra não só peças adquiridas pelo museu como obras de arte doadas à fundação ou ali depositadas pelo Estado e coleccionadores privados.
Para além desta componente de arte contemporânea, a plataforma digital incorpora mais três núcleos: o acervo de Carlos Alberto Cabral, conde de Vizela e primeiro proprietário da Casa de Serralves; o arquivo fotográfico da fundação, com imagens de espaços, exposições, artistas e actividades; e vários acervos documentais, caso da Colecção E. M. de Melo e Castro, Colecção Raymond Hains e Colecção Porto 69/70.
Esta é uma excelente prenda.

19 de dezembro de 2007

Castração química já para este e outros que tais.

Ao que parece a decisão do Tribunal Constitucional sobre o número de militantes dos partidos está a gerar ondas piores que as sísmicas.
O PCP já afirmou que não vai entregar a listagem de militantes coisa nenhuma, para além de outros partidos apelidarem a atitude de ditatorial e outros mimos que tais. Aliás, tanto quanto me foi dado saber estiveram reunidos elementos de pelo menos sete partidos por forma analisar a forma de combater tal imposição do TC, sendo que estamos a falar de uma reunião onde estiveram o Movimento Partido da Terra, o Partido Nacional Renovador, o Partido da Nova Democracia e o Partido Comunista dos Trabalhadores Portugueses/Movimento Reorganizativo do Proletatiado Português e o Partido Popular Monárquico, entre outros.
Não sei porquê mas teria gostado de ver esta gente toda na mesma sala.
Bom, mas o mais caricato de tudo é a iniciativa tomada por Manuel Monteiro, que entretanto já admitiu que o seu Partido da Nova Democracia só tem 1200 militantes. Pois bem Monteiro decidiu recorrer da notificação do Tribunal Constitucional que obriga os partidos a provarem que têm 5.000 militantes, invocando a inconstitucionalidade daquela norma junto... do próprio TC.
Ou estou doido ou não percebo: ele recorre para o TC da notificação emanada do próprio TC.
Mas como se isto não fosse já suficiente, eis que o líder da Nova Democracia vai mais longe e salienta que esta batalha contra o TC é o resultado de um texto do constitucionalista Vital Moreira, que afirmou que os partidos podem "suscitar directamente a questão da constitucionalidade no próprio processo levantado pelo Tribunal. E para compor o ramalhete falta só a ideia expressa por Monteiro, de que a obrigatoriedade de existir um mínimo de filiados atenta contra a liberdade de associação e de organização.
Se já estava doido só por recorrerem ao TC, fiquei completamente estupidificado por ver Monteiro a socorrer-se dos textos e pensamentos de um dos criadores do maior cancro do país - para Monteiro, claro - que é a Constituição.
Para terminar esta matéria, importa salientar que o PND nasceu duma dissidência do CDS-PP, e é presidido por um seu antigo presidente, Manuel Monteiro. O seu primeiro congresso foi realizado em Outubro de 2003 onde foi publicado o manifesto do partido, Uma Ideia de Portugal. Esta lei que agora contestam é a Lei Orgânica nº 2/2003 data de 22 de Agosto de 2003.

Mas a política não se fica só por aqui. Parece que Luis Filipe Menezes tem mais um problema para resolver, desta vez nos Açores.
A liderança do PSD-Açores está nas mãos do ex-ministro Costa Neves, sendo certo que não foi uma eleição já de si pacífica.
Pois bem, para complicar mais as coisas para o candidato Costa Neves e logicamente para Menezes, andou a circular um documento de apoio à recandidatura de Carlos César a presidente do Governo Regional que recolheu mais de 170 nomes de personalidades sem filiação partidária e incluiu nomes sonantes do PSD, nomeadamente dois dirigentes regionais, do advogado micaelense Victor Borges da Ponte, que já foi o "braço-direito" de Costa Neves quando assumiu pela primeira vez a liderança do PSD Açores, no final dos anos 90, e de José Leovigildo Azevedo, empresário e antigo presidente carismático da Câmara Municipal da Calheta de São Jorge - a ilha "bastião" do PSD.
Vamos lá ver quais são estilhaços que podem advir desta explosão.

18 de dezembro de 2007

Ontem referi que envergonha a decisão relativa ao caso UGT. Quando disse isso não pretendi atacar fosse quem fosse da UGT, não era isso que estava em questão.
O que me envergonha é que tenha passado tanto tempo (os factos remontam a 88/89, estamos no fim de 2007) que a decisão do tribunal tenha sido a de considerar atribuível o crime de burla na forma tentada ao dirigente da central sindical José Manuel Veludo, mas já prescrito, tendo os juízes admitido que "não ficou provada a existência de um plano criminoso".
Trata-se de uma sentença "assassina" e porquê, porque pairará para sempre sobre os arguidos uma auréloa de culpabilidade que, por muitos anos que vivam, não vão nunca conseguir fazer desaparecer.
Qualquer processo tem de ter um tempo máximo para terminar. A prescrição é a pior forma de fechar um processo, e é a pior porque nos remete em primeiro para a incapacidade do sistema judicial e acreditem que muitas vezes já sou incapaz de determinar se a culpa é do poder político se do próprio poder judicial que é fechado em si mesmo e um pouco autofágico; em segundo porque é uma solução penalizadora para a sociedade já que impede que os culpados sejam penalizados por aquilo que cometeram; terceiro e último, porque é penalizadora para quantos mesmo que inocentes fiquem sempre numa zona obscura aos olhos dos outros.

E porque falamos de justiça, era interessante que este não prescrevesse.

E agora? Vão para a Comissão de Risco, levam com o carimbo de coitadinhos e fica tudo bem. E que tal obrigá-los a limpar e a arrumar tudo como estava.

É verdade que o peso que as crianças transportam para a escola deve preocupar todos. Poder político, pais, escolas, poder local, editores, todos são poucos para se debruçarem sobre esta temática. Mas quando em tempos aqui defendi a certificação dos manuais escolares, não estava a pensar em q de quilos, estava a pensar em q de qualidade.

17 de dezembro de 2007

Vamos então aos pequenos partidos. O Tribunal Constitucional notificou os partidos a provarem no prazo de 90 dias que têm pelo menos 5000 militantes, sob pena de serem extintos por incumprimento da Lei dos Partidos Políticos.
De acordo com a Lei dos Partidos Políticos o TC é obrigado a verificar "regularmente, com a periodicidade máxima de cinco anos, o cumprimento do requisito do número mínimo de filiados", pode ler-se no artigo 19º.
Sendo assim não percebo o clamor levantado e muito menos as queixinhas feitas ao Presidente da República.
Quando fundaram os partidos não leram a lei, isto para os fundados após 2003? Os que já existiam não se preocuparam em estar dentro da lei.
Mas vamos ver as coisas fora da óptica da lei.
Quando é que ouvimos falar estes pequenos partidos? Na altura das eleições claro! E porquê? Porque existem euros a distribuir consoante os votos arrecadados (uma coisa que nunca percebi).
Tirando isto qual é a intervenção? Se excluirmos algumas acções perfeitamente inóspitas e que só têm como finalidade chamar a atenção (o caso da queixa entregue no Tribunal do Porto pelo PND de Manuel Monteiro contra Mugabe) e fazem-no com elevada falta de gosto e objectivo.
Existe ainda, na minha perspectiva, uma outra mistificação. Estou a falar de umas quantas alianças (algumas contranatura - PPM com PSD) que só servem para manter artificialmente algo que já não existe.
Sobre a temática dos partidos políticos, deixo aqui alguns links interessantes:
-http://www.ics.ul.pt/publicacoes/analisesocial/recensoes/165/vilaverde.pdf
-http://www.25abril.org/docs/congresso/democracia/00.12-Fernanda%20Lopes%20Cardoso.pdf.
-http://www.tecnet.pt/22334.html.

Não encontro adjectivo capaz de qualificar a sacanice que mais uma vez vão fazer à Faixa de Gaza.

Não é por nada, mas se aquele espeta que não espeta entre Pinto Monteiro e a PJ pudesse transformar-se numa simples batalha naval, hoje podíamos dizer que a PJ deu um tiro em cheio no porta-aviões do Procurador.
Gostaria de ter visto Pinto Monteiro a aplaudir esta operação. Ficava-lhe bem e não perdia a face.

Faleceu no sábado, em Paris, uma das grandes impulsionadoras do ensino da língua portuguesa em terras de França.
Solange Parvaux foi, durante as últimas décadas, uma grande impulsionadora do ensino do Português em França, tanto em colaboração com as instituições portuguesas, como no quadro do Ministério da Educação francês, de que foi inspectora-geral.
Esta investigadora era ainda Presidente da Associação para o Desenvolvimento dos Estudos Portugueses, Brasileiros, da África e da Ásia lusófonas (ADEPBA).
Estava previsto para Janeiro o lançamento da sua mais recente obra "Vocabulaire Portugais, Portugal et Brésil".

Envergonha qualquer um, mas isto sou eu a pensar. Como é possível tanto tempo. E não digo isto por ser a UGT, porque certamente muitas outras pessoas também deveriam passar pelo mesmo e sairam incólumes há muito, mas muito tempo.